BLOG

Blog
  • Clínica do cuidar

A ausência prolongada de um dente pode resultar em algum dano para a saúde bucal do paciente?

A falta de um dente, aparentemente, pode não parecer uma grande perda, principalmente se é um dente posterior. Nesse caso, o paciente pensa apenas na estética, “ah, ninguém vai ver,está muito atrás.” 

Se for pensar apenas no lado estético, realmente não fará falta, acontece que a perda de um dente vai muito além da estética.

Vamos pensar primeiramente, nas funções do dente: 

Incisivos - Esse grupo possui oito elementos, quatro em cada arcada, são os anteriores. São geralmente os primeiros a entrar em contato com o alimento e têm a função de cortá-los. 

Caninos - seguem os incisivos na ordem de posição nas arcadas. São quatro dentes, dois superiores e dois inferiores, e servem para rasgar e reduzir o alimento em partes menos compactas. 


Pré-molares e os molares - trituram os alimentos. Os pré-molares estão logo depois dos caninos e possuem saliências e sulcos em sua face superior, facilitando o trabalho de cada dente. Somam oito, quatro em cada arcada, dois de cada lado. Molares são 12 ao todo, incluindo os “Sisos” (terceiros molares).


Agora que você já sabe as funções dos dentes, dá para entender porque a perda de um dente vai muito além da estética?


Quando fechamos a boca, todos os dentes se tocam, se falta um ou mais o “par” dele não vai ter onde tocar, isso  faz com que ele se movimente.


Outra questão que deve ser levada em conta é a perda de sustentação de lábios e bochechas com o espaço vazio.


Por último, devemos pensar na nutrição. Nós trituramos os alimentos e assim absorvemos todos os nutrientes necessários. A falta deles acarreta vários problemas para o organismo.


Portanto, a perda de um ou mais dentes, além de não ser funcional, também é prejudicial à saúde geral do indivíduo.