BLOG

Blog
  • Clínica do cuidar

O "SISO" SEMPRE PRECISA SER EXTRAÍDO?

Receber um paciente na clínica na dúvida se precisa ou não extrair o “siso” é muito comum.

“Siso” é o nome popular dado para o terceiro molar. Ele nasce (erupciona) por volta dos 18 anos.

Mas, apesar de comum, nem sempre a cirurgia de extração de “siso” é necessária, por exemplo: quando o dente nasce com espaço suficiente e sem impactar os dentes da frente; quando o paciente não tem problema de higienização e escova bem os dentes, não há formação de cáries e quando não há dor e não há inflamação na gengiva.

Com o passar do tempo, o ser humano desenvolveu alimentos mais industrializados e macios, não tendo mais a necessidade de triturar coisas duras e fibrosas. Assim nossa estrutura óssea diminuiu ao longo do tempo, “tirando o espaço” do “siso” e impossibilitando sua erupção de forma adequada na boca. Com isso, temos várias queixas de pacientes com dor na região e dificuldade de escovar (o que gera muito acúmulo de placa) e consequentemente ocorrem os sangramentos.

A dor na região pode ser apenas pelo dente nascendo ou realmente está impactando o dente da frente (segundo molar). Nesse caso, sim, a extração é necessária. As doenças periodontais são outro motivo para extração de terceiro molar, seja pela dificuldade de higienização ou pela ocorrência da pericoronarite. Como o “siso” é o último dente, muitos pacientes têm dificuldade de higienização. A pericoronarite é uma das patologias mais frequentes em relação ao processo de erupção desses dentes. É um estado inflamatório que pode ou não ser infeccioso e que envolve todo o tecido gengival que cobre a coroa do dente. É mais comum em terceiro molar inferior semi-incluso.

Outra dúvida muito frequente que os pacientes têm na clínica é se o “siso” deve ser extraído por conta do apinhamento dental. De acordo com alguns estudos não, o “siso” não interfere no apinhamento dos dentes. Essa condição está ligada à falta de espaço no arco dentário para os dentes erupcionarem de forma harmônica. A dentição permanente finaliza normalmente aos 12 anos e o “siso” só aparece por volta dos 18 anos, ou seja, quando toda a dentição está formada, apenas um dente não vai interferir na dentição total. O apinhamento dos dentes tem mais a ver com a falta de crescimento mandibular, estrutura esquelética ou forças periodontais.

A decisão de extração ou não do siso, só será tomada depois de feita a avaliação clínica, juntamente com a radiografia do paciente (panorâmica ou periapical), e em alguns casos, tomografia. Assim, o cirurgião-dentista pode decidir o melhor plano de tratamento para o paciente.

O objetivo aqui foi esclarecer as dúvidas que são mais comuns na clínica, mas a avaliação presencial do paciente pelo cirurgião é imprescindível, só assim ele terá o diagnóstico correto e necessário para cada paciente.