BLOG

Blog
  • Clínica do cuidar

VOCÊ JÁ OUVIU FALAR EM APNEIA DO SONO?




A apneia do sono é um distúrbio que causa a parada momentânea da respiração ou uma respiração muito superficial durante o sono. Isso resulta em roncos e um sono que não descansa e não permite recuperar as energias, podendo provocar sintomas como: dificuldade de concentração, dor de cabeça, irritabilidade e até impotência.

A apneia do sono acontece devido à obstrução das vias respiratórias em função da desregulação dos músculos da faringe. 

Além disso, existem hábitos de vida que aumentam o risco de desenvolver a apneia do sono, como o excesso de peso, consumo de bebidas alcoólicas, tabagismo e uso de remédios para dormir. Normalmente, ela ocorre em pessoas com mais de 50 anos.

Para identificar a apneia obstrutiva do sono, deve-se notar a presença dos seguintes sintomas: 

-Roncar durante o sono;

-Acordar várias vezes à noite, mesmo que por poucos segundos e de forma imperceptível;

-Apresentar paradas da respiração ou sufocamento durante o sono;

-Ter excesso de sono e cansaço durante o dia;

-Acordar para urinar ou perder urina durante o sono;

-Ter dor de cabeça pela manhã;

-Diminuir o rendimento nos estudos ou trabalho;

-Ter alterações da concentração e da memória;

-Desenvolver irritabilidade e depressão;

-Ter impotência sexual.

O diagnóstico definitivo da síndrome da apneia do sono é feito com a polissonografia, que é um exame que analisa a qualidade do sono.

O tratamento para a apneia do sono geralmente é iniciado com pequenas alterações no estilo de vida de acordo com a possível causa do problema. 

Por isso, quando a apneia é provocada pelo excesso de peso, por exemplo, é recomendado consultar um nutricionista para fazer um plano nutricional que permita a perda de peso, de forma a melhorar a respiração.

Já quando a apneia do sono é causada ou agravada pelo cigarro, é aconselhado deixar de fumar ou diminuir o número de cigarros consumidos por dia, para evitar a inflamação das vias respiratórias e facilitar a passagem do ar.

Porém, nos casos mais graves, quando não é possível tratar a apneia de sono apenas com essas pequenas alterações, podem ser recomendadas outras formas de tratamento: 

CPAP ou cirurgia. 

O CPAP é um aparelho, semelhante a uma máscara de oxigênio, mas que empurra o ar até aos pulmões, permitindo uma respiração normal que não interrompe o sono e que, por isso, permite ter um sono mais reparador. 

A cirurgia é indicada quando as outras formas de tratamento não funcionam, sendo recomendado experimentar esses tratamentos por, pelo menos, 3 meses. 

Os sinais de melhora podem demorar entre alguns dias até várias semanas para aparecer, dependendo do tipo de tratamento, e incluem diminuição ou ausência do ronco durante o sono, redução da sensação de cansaço durante o dia, alívio das dores de cabeça e capacidade para dormir sem acordar durante a noite.

Já os sinais de piora acontecem quando o tratamento não é iniciado e incluem aumento do cansaço durante o dia, acordar várias vezes durante o dia com intensa falta de ar e roncar intensamente durante o sono, por exemplo.

Procure seu dentista se qualquer um desses sintomas aparecerem!